terça-feira, 26 de abril de 2011

Shoppings migram para regiões litorâneas do Brasil

26/04/2011 - DCI, 26/abr

Depois de se concentrarem nos consumidores do interior dos principais estados brasileiros, administradoras de shopping centers (ou malls) como as empresas Serveng-Civilsan, Conshopping, Aliansce e Grupo JCPM, preparam-sse para dominar o mercado praieiro do País. Este ano cerca de 7 malls serão construídos à beira mar, para atender moradores e turistas da região.

Quem começou a investir neste nicho de mercado é a administradora Serveng-Civilsan, que deve entregar ainda este ano o Serramar Parque Shopping, em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. O investimento total será de R$ 50 milhões. O mall ocupará um terreno de 154 mil metros quadrados no cruzamento da Rodovia Rio-Santos com a futura Nova Tamoios.

Seus 20,3 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) terão 100 lojas, entre âncoras, megalojas e satélites (estabelecimentos menores), além de hipermercado, praça de alimentação com redes de fast-food, e restaurantes, 4 salas de cinema e 800 vagas de estacionamento.

Segundo o diretor de Novos Negócios da Serveng, João Martins, o novo shopping não será apenas um investimento com foco em turismo que a região deverá receber, mas um dos principais polos de geração de emprego do estado. "Nós acreditamos que o litoral norte reúne todas as condições para se desenvolver de forma sustentável e planejada", disse Martins.

O porta-voz afirma que a Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba (UTGCA) da Petrobras, a ampliação do Porto de São Sebastião e a Nova Tamoios deverão impulsionar as atividades de logística e da indústria de óleo e gás na região. Com isso, o shopping será um importante centro de comércio e lazer para o litoral norte.

A administração do empreendimento ficará a cargo da empresa Lumine, uma das principais operadoras de shopping de São Paulo, que estima um lucro acima de dois dígitos mensais. "Pela proposta de ser um empreendimento completo, nós projetamos um potencial de faturamento de R$ 14 milhões mensais, comparável a resultados de shoppings nas grandes cidades brasileiras", explica o sócio-diretor da Lumine, Claudio Sallum. De acordo com ele, a empresa também será responsável pela comercialização de lojas do empreendimento.

Sallum enfatizou a satisfação de fazer parte do projeto. "Temos conversado com lojistas em potencial e o interesse no Serramar Parque Shopping é muito grande, por ser projeto único no litoral Norte. O desenvolvimento industrial e imobiliário em andamento na região também é um fator determinante para o sucesso do empreendimento", completou.

Quem segue nessa mesma linha de raciocínio e deve se consolidar nos próximos meses como um dos maiores empreendimentos da Baixada Santista, no litoral sul, é o Litoral Plaza Shopping, na Praia Grande (SP). O mall está com um plano de expansão em que o local passará dos atuais 47 mil para 55 mil m² de ABL. Na nova área haverá mais quatro lojistas, dois dos quais já podem ser anunciados: o atacadista Assaí, um dos maiores do segmento de atacado e varejo, e a Preçolândia, que deve entrar em funcionamento neste primeiro trimestre.

Para atender a maior concentração de pessoas, o grupo irá ampliar o estacionamento com mais 300 novas vagas, um aumento de aproximadamente 10%. Segundo o gerente-geral do shopping, Fernando Rodriguez, a reestruturação se deve ao nível de exigência do consumidor. "O Litoral Plaza passa não só por um aumento de espaço físico para os clientes, mas também por uma reformulação no sortimento de lojas. Hoje oferecemos opções para um público diferenciado e mais exigente, que possui um poder aquisitivo mais elevado do que nos anos anteriores", destacou.

Mercado carioca

Hoje será inaugurado o primeiro shopping regional de Campos dos Goytacazes (RJ), administrado pelo grupo Aliansce, o Boulevard Shopping Campos, no Rio de Janeiro. O empreendimento recebeu um investimento de R$ 150 milhões e está localizado próximo ao Porto do Açu, e ao Complexo Logístico e Industrial Farol-Barra do Furado.

Para o economista e professor de Perfil Consumidor da Universidade São Paulo (USP) Nelson Barrizzelli, isso faz parte da ascensão das classes, juntamente com a falta de espaço nas capitais brasileiras. "Cada vez mais os grandes players do varejo buscam alternativas para aparecer no mercado. O mercado em São Paulo e região já se encontra saturado: ganha o mercado quem trouxer ao consumidor alternativas de lugares, preços ou serviços em lugares diferentes", enfatizou.

Para a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), o segmento vê, até 2013, 124 novos shoppings. Assim, em dois anos e meio o País terá mais 20 mil novas lojas, para o que serão investidos cerca de R$ 6,331 bilhões.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Antigo corredor dos trilhos é preparado para a Orla Ferroviária

11/04/2011 - Correio do Estado

Parte do corredor dos trilhos da antiga estrada de ferro já começou a ser preparado para as obras da Orla Ferroviária, empreendimento orçado em R$ 3,8 milhões que depois de pronto dará nova estética e ocupação diferenciada para a faixa de domínio da linha férrea na área central de Campo Grande, entre as avenidas Afonso Pena e Mato Grosso.

A expectativa é que dentro de 15 dias, máquinas e operários da primeira frente de trabalho ocupem o local, segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco.