segunda-feira, 23 de maio de 2011

Via expressa de Salvador já beneficia mais de 1 milhão de baianos

23/05/2011 - DNIT

Obras iniciadas em março de 2009, já contam com 55% dos serviços concluídos

Os moradores da capital baiana já percebem a melhora no tráfego que passa pela BR-234, onde estão em andamento as obras do complexo viário da Via Expressa. Trata-se de um conjunto de obras estruturantes, com vias de trânsito livre, que irá eliminar os conflitos de tráfego e dar qualidade de fluxo às vias urbanas da capital. Além disso, a rodovia fará a ligação ao Porto Marítimo da cidade à BR-324, facilitando muito o escoamento os produtos portuários.

A obra está orçada em R$ 400 milhões e é realizada por meio de convênio entre os governos Federal e Estadual, sendo que os recursos federais, investidos por intermédio do DNIT, correspondem a R$ 360 milhões. Outros R$ 40 milhões são investidos pelo governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia – CONDER, responsável pela execução dos serviços.

O empreendimento está dividido em duas etapas: o primeiro – concluído, compreendem 6 viadutos, localizado na BR-324, na rótula do Abacaxi, no baixo da Cabula. Com a entrega desse trecho, avenidas de grande tráfego como ACM, Paralela e Bonocô, foram diretamente beneficiadas, liberando o fluxo constante dessas vias. A segunda fase da obra já está em execução e compreende a ampliação das Avenidas Glauber Rocha, Heitor Dias, além da construção de mais túneis na Baixa de Quintas. A previsão de conclusão dos serviços é para o segundo semestre deste ano.

Pela BR-324, em Salvador, trafegam diariamente cerca de 62 mil veículos e mais de 3 mil caminhões. Ao todo, o empreendimento conta com 4,3 quilômetros de via, que incluem 10 faixas de tráfego, sendo 6 urbanos e 4 exclusivas para veículos de carga. Fazem parte do projeto também a construção de 2 túneis, ciclovia e calçadões. A obra da Via Expressa de Salvador é considerada uma das mais importantes dos últimos anos, principalmente pela complexidade do projeto. É uma área densamente povoada, que implicará na desapropriação de cerca de 771 imóveis. Para esse processo são realizadas audiências públicas para detalhar o projeto e mostrar à população a importância do empreendimento para a cidade.

Quando totalmente concluída, a Via Expressa irá eliminar o conflito entre o tráfego de carga e o trânsito da via e encurtar a distância da rodovia até o Porto em 3,5 quilômetros. Também fará a integração entre bairros por meio de passarelas, benefícios diretos a uma população estimada em 400 mil habitantes, além da revitalização do bairro do comércio e entorno.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Campos concluirá obras de duplicação de marginal da RJ-126

20/05/2011 - Agência Rio

Está em fase de conclusão as obras de duplicação da rodovia marginal à RJ-126, que liga Campos, no Norte Fluminense, ao distrito de Goytacazes. A obra está na fase de asfaltamento de parte da área, o que vai permitir o deslocamento do tráfego para que toda a antiga pista da RJ-216 possa ser duplicada.

Além do asfaltamento da nova rota, as máquinas vem fazendo o nivelamento e trabalhando nas ruas transversais, afim de garantir o acesso dos moradores de bairros vizinhos à obra, que vão utilizar o novo caminho. Enquanto isso, o tráfego continua sendo feito em mão inglesa, para os carros que seguem no sentido Baixada Campista, passando pela antiga estrada da Penha, no retorno a Campos. Para os motoristas que passam pelo local, diariamente, o cuidado deve ser redobrado.

A duplicação da RJ 216, rodovia que liga Campos à praia de Farol de São Tomé, entre a Usina Santo Antônio e Goitacazes, vai ser realizada em 6km, terminando nas proximidades da Usina São José e vai garantir pista dupla e ciclovia, entre outros benefícios, que vão beneficiar os moradores de diversos bairros nas imediações da nova estrada, que vai facilitar o tráfego, rumo à Baixada Campista. 

De acordo com o cronograma traçado no início dos trabalhos, a fase inicial da obra tem previsão de conclusão para 18 meses, no trecho entre a 28 de Março e o trevo da Estrada dos Ceramistas.

(MG)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Começam as obras de mobilidade urbana em Cuiabá

10/05/2011 - FIFA.COM


A cidade de Cuiabá, uma das sedes da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, começa a sofrer uma grande transformação. O conjunto de obras de mobilidade urbana que dará uma nova cara à capital mato-grossense começará com a obra de duplicação da ponte Mário Andreazza, que liga o município a Várzea Grande, na região metropolitana. A ordem de serviço para o início das intervenções foi assinada nesta segunda-feira (9/5) pelo governador do estado, Silval Barbosa.

A obra da ponte permitirá a ligação rápida do município com a Região Norte do Mato Grosso, possibilitando o desafogo do trânsito no centro urbano e melhorando as condições de tráfego em Cuiabá. Os trabalhos devem estar concluídos em um ano e estão orçados em R$ 11,5 milhões. O governador autorizou também a licitação para a duplicação da rodovia Mário Andreazza, que também liga Cuiabá a Várzea Grande.

Um outro lote de intervenções urbanas já está em processo de concorrência pública. Será o maior volume de obras de mobilidade urbana no Mato Grosso e os trabalhos devem durar cerca de dois anos. No total, o investimento em melhorias será de quase R$ 358 milhões.

O governador Silval Barbosa acredita que a cidade terá uma nova cara com as intervenções que vão ser realizadas para melhoria do tráfego, apesar dos transtornos que elas causarão neste momento: “As obras vão afetar o dia-a-dia das pessoas, mas isso é momentâneo e o resultado certamente compensará o sacrifício”, disse, já projetando o que a população terá de benefícios em 2014.

Para o presidente da agência estadual de coordenação dos preparativos para a Copa do Mundo da FIFA no Mato Grosso, Eder Moraes, a população de Cuiabá começará a ver na prática a transformação que a Copa do Mundo da FIFA levará para a capital mato-grossense.

“A partir de agora a população começará a ver nas ruas a concretização dos projetos para Copa do Mundo da FIFA de 2014”, ressaltou.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Apple produzirá celulares e tablets no Brasil, afirma Investe SP

03/05/2011  - Valor Online, Talita Moreira

SÃO PAULO - O presidente da Investe São Paulo, Luciano Almeida, confirmou na manhã de hoje que a Apple vai produzir telefones móveis e tablets no Brasil. A fabricação será feita no Estado pela taiwanesa Foxconn. 

A Investe São Paulo é a agência do governo paulista responsável pela atração e expansão de investimentos em São Paulo. 

Segundo Almeida, serão fabricadas seis milhões de unidades desses produtos por ano quando a fábrica atingir sua capacidade máxima em um período de 3 a 4 anos. Neste momento, a previsão é de que sejam empregados de quatro a cinco mil funcionários. Em uma segunda etapa, não está descartada a fabricação de computadores. 

De acordo com Almeida a nova linha de produção precisa estar montada até junho para entrar em atividade en novembro. O tempo parece curto, mas Almeida garantiu que é possível. "Não haverá produção. A Foxconn será uma montadora de produtos", disse. O valor do investimento no pode ser revelado. De acordo com Almeida a operação da Foxconn no Brasil é deficitária e a chegada da Apple ajudaria a viabilizar a operação no país.

Almeida disse que representates da Apple estiveram reunidos com o governador Geraldo Alckmin em fevereiro e que um protolo de intenções foi assinado em abril. 

Neste momento está sendo definido o município onde ficará concentrada a produção. "Cinco ou seis cidades disputam o investimento" disse. A escolha do muncípio paulista dependerá dos benefícios oferecidos por cada cidade. Em âmbito estadual, Almeida não revelou quais incentivos estão sendo negociados. 

O presidente da Investe São Paulo garantiu que a fábrica ficará no Estado de São Paulo e descartou a possibilidade de a fabricação de produtos da Apple ser feito no Rio de Janeiro, com apoio do empresário Eike Batista.

A fabricaçao de produtos da Apple é a primeira de três frentes de investimento da Foxconn a serem realizadas no Brasil nos próximos anos. As seguintes são a centralização das cinco fábricas que a empresa mantém no país em uma única unidade e a construção de um fábrica de telas de cristal líquido. Na terceira fase, o investimento pode variar entre US$ 3 bilhões e US$ 7 bilhões. "O valor vai depender da tecnologia empregada", disse Almeida. 

Almeida disse não ter conhecimento de que o investimento total da Foxconn no Brasil atinja os US$ 12 bilhões anunciados pelo ministro governo federal há três semanas. Procurada pelo Valor, a assessoria de imprensa da Apple não foi encontrada para se pronuniciar.